5 CURIOSIDADES SOBRE OS RIOS VOADORES DA AMAZÔNIA



rio voador saindo do oceano para a Amazônia
Rios Voadores: do oceano para a América do Sul


Todos os anos rios passam voando sobre nossas cabeças com toneladas de água cujo volume é equiparado ao Rio Amazonas em forma de vapor. Para ficarmos por dentro desse fato quase desconhecido vejamos 5 curiosidades sobre esse fenômeno da natureza chamado de rios voadores da amazônia.


1) O que são esses tais Rios Voadores?

Rios voadores ou flutuantes, são basicamente vapores de água transportados do Oceano Atlântico por meio de correntes de ar que levam umidade para a Floresta Amazônica e dela para outros lugares do continente americano. Esses rios também podem ser chamados de rios aéreos.

2) Como funciona o fenômeno dos rios voadores

setas mostrando em um mapa  como os rios voadores chegam na cordilheira dos andes
O Rio voador se choca contra a Cordilheira dos Andes
e tem suas águas espalhadas pelo Brasil nas chuvas
A Floresta Amazônica trabalha fazendo a função de uma bomba que vai sugando a evaporação das águas do Oceano Atlântico para dentro da América do Sul. A umidade desses vapores acaba caindo sobre a floresta  que por causa do calor solar "transpira"  gotículas d'água  de volta para a atmosfera  entrando novamente no rio aéreo.

Após receber mais água da transpiração da floresta, o rio aéreo vai para oeste da Amazônia onde literalmente bate de frente com um paredão de montanhas de 4 km de altura, a Cordilheira dos Andes.

Uma parte do rio aéreo depois desse choque com a cordilheira vira neve devido ao frio dessas montanhas. Essa neve ao se descongelar dá origem a rios essenciais da bacia amazônica, sobretudo o próprio Amazonas.

A parte restante do rio segue viagem abençoando várias áreas do país. Para se ter ideia, 70% das chuvas nas regiões sudeste e centro-oeste são obra dos rios voadores da amazônia.


3) A importância dos Rios Voadores

Países situados em áreas subtropicais como o nosso tem pressão atmosférica elevada, e ainda recebem ventos quentes e secos que favorecem a desertificação do solo como aconteceu na formação dos desertos de Atacama no Peru, do Kalahari na África e o deserto da Austrália.

solo rachado e desertificado pela falta de chuvas
Os rios voadores impedem o processo de desertificação
no Brasil e em outros países da América do Sul

A umidade que é transportada pelo fenômeno dos rios voadores protege o Brasil dessas ações climáticas  trazendo irrigação, vida, equilíbrio e  impedindo que tenhamos verdadeiros desertos. 

4) Existem mais rios aéreos no Brasil

Além do rio flutuante amazônico (que é o principal) há também mais 20 rios aéreos diferentes atravessando o céu do país. Pense em uma caixa d'água de 1000 litros. Pensou? Agora, imagine 4 trilhões dessas caixas com 1000 litros de água cada...pois é, dá muita coisa e é exatamente esse o volume ou quantidade de água que esses fenomenais rios transportam.

5) Sem floresta: sem chuvas e agronegócio

floresta destruída e árvores tombadas no solo devastado
Sem a Floresta Amazônica não tem a "bomba 
de água verde"que ajuda a distribuir as chuvas 
no Brasil pelos rios voadores
A Floresta Amazônica é quem "puxa" as águas oceânicas para dentro do continente e manda sua umidade para abastecer as correntes do Rio Voador. Então, imaginemos se a Floresta Amazônica tivesse metade de sua área diminuída? É justamente aí que está a grande questão porque, infelizmente, não precisamos imaginar nada. A floresta já tem uma área desmatada para pastos, agricultura e venda de madeiras equivalente aos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Espirito Santo e Rio de Janeiro juntos.

Quanto menor a Floresta Amazônica se tornar, maior será o efeito sobre o fenômeno dos rios voadores e, sem dúvidas, sobre o ciclo das chuvas por quase todo o Brasil. Sem a Floresta, é altamente provável que o Centro-Sul do país se torne o mais novo deserto do mapa mundial. Derrubá-la pode ser um tiro no pé para o agronegócio com a falta de chuva que ocorrerá se nada for feito.

Comentários