Lenda Urbana: ritual canibal para devorar virgens


virgem amarrada para ritual canibal

AVISO AOS SENSÍVEIS:
AS IMAGENS DESSA LENDA URBANA SÃO HORRÍVEIS E ANGUSTIANTES!


Conforme a cultura das famílias chinesas que moram no Brasil há um longo tempo, nas histórias contadas por suas Nainai (奶奶),que significa vovó na língua deles, há um vilarejo pouco conhecido ao norte da Manchúria chinesa , onde vivem chineses bárbaros e, com toda certeza, não muito civilizados, e onde acontece todos os anos um verdadeiro festival de matança humana. 

Turistas mulheres de outras localidades e até mesmo as nascidas naquele país, ao passarem  por alí desacompanhadas ou de forma descuidada são pegas de surpresa sendo então arrastadas  se debatendo contra seus raptores e levadas para um lugar onde será sua última morada.

canibais retirando corpo morto da moça da mesa para fazer outro sacrifícioO sequestro acontece normalmente com moças que por algum motivo desconhecido se distanciam ou se perdem do grupo de turistas que fazem trilhas nas florestas e montanhas próximas à vila dos canibais devoradores de virgens. 

Ao que tudo indica, a preferência desses nativos, seria a de atacar quando o sol está quase se pondo e os fazedores de trilha estão voltando para a cidade, bem cansados, com sede e sem a luz natural para os ajudar no percurso.

As autoridades não se pronunciam, não resolvem o caso e nem adianta  forçar porque como dizem as Nainai que passaram pela experiência: "...podem sofrer censura ou talvez repressão do estado e serem presos por falar do assunto."



virgem nua amarrada e pronta para ser sacrificada em ritual canibal
Lá não é um lugar muito apropriado ou seguro para moças!
Sabe-se apenas que tudo é muito rápido e que os parceiros do passeio turístico não conseguem dar socorro às vítimas pois o que percebem são apenas  vultos sumindo pelo terreno acidentado e escuro da vegetação. Muitas vezes confunde-se ou pensa-se que esses tais vultos são animais ferozes da localidade em busca de alimento...

...E SÃO MESMO

chinês furando pescoço de uma moça e recolhendo o sangue em uma bacia
O ritual canibal começa!
Durante um ano inteiro, as moças recebem roupas, abrigo e comida, ficando estritamente proibido a qualquer um dos moradores da região de oprimí-las, ferí-las e de forçá-las a algum ato sexual até o momento certo de serem comidas. Assim, seus corpos permanecem livres de feridas e hematomas que prejudicam o sabor da carne.

Porém, se a prisioneira ainda for virgem, lhe é dada a permissão para se juntar a um homem da aldeia e manter relações sexuais com ele, caso se interesse. Os canibais acreditam que o sexo e as carícias deixam a carne delas mais saborosa e adocicada.  

De acordo com a tradição, a carnificina só pode ocorrer no primeiro dia de cada ano novo chinês, quando a curandeira ou bruxa da vila, que eles chamam de Wupó ( 巫婆 ), raspa os pelos das moças (em especial os pubianos), lhes dá banho e então as leva para o local da cerimônia de abate, totalmente nuas e descalças. 


sangue de virgem sendo recolhido em uma bacia para ritual canibal
Um chá contendo fortíssimas substâncias calmantes e alucinógenas lhes é dado, mas mesmo assim, quando enxergam o sangue vermelho coagulando ao lado dos corpos de outras moças sequestradas, as coitadas são tomadas pelo terror e desolação caindo aos prantos, até o momento em que um afiado objeto lhes corta a garganta e já não se pode mais ouvir seus gritos. 

O sangue é recolhido e derramado nos arredores da aldeia fazendo um círculo ritualístico enquanto a Wupó recita feitiços em chinês antigo. Tudo isso para se protegerem, durante o ano, dos (demônios) yaoguai妖怪 ) que, segundo os moradores, trazem para sua terra doenças e a falta de chuva. 


A cabeça é decepada e com os miolos fazem uma sopinha para suas crianças. Quanto à carne delas, bem... 


...a macia e fina carne das virgens, vira o churrasco do ano novo!

fotos de moças penduradas, no chão ou sobre uma mesa sendo cortadas por canibais chineses
Em um canibalismo medonho, mulheres são mortas,
como simples rebanho, levadas para o abatedouro!


Comentários