KROKODIL: A DROGA ZUMBI QUE DEVORA CARNE HUMANA

mulher desfigurada observando com medo seringa com droga krokodil

O KROKODIL É A DROGA CANIBAL DEVORADORA DE CARNE HUMANA QUE TRANSFORMA 
PESSOAS EM VERDADEIROS ZUMBIS DA VIDA REAL. POSSIVELMENTE, ELA TAMBÉM 
É A PIOR, MAIS MORTAL E ASSUSTADORA DROGA DA QUAL 
SE TEM NOTÍCIA NO SÉCULO 21.


Tudo começa com a desomorfina. A desomorfina é um derivado da morfina com poderosa ação sedativa e analgésica sendo destinada para tratamentos de dores de altíssima intensidade normalmente associadas ao câncer. Foi sintetizada pela primeira vez nos EUA em 1932 e patenteada em 1934. Mesmo aplicada em pequenas quantidades é uma substância extremamente viciante.

O ser humano, como sempre usando de sua criatividade, (e nesse caso para o mal) descobriu na Sibéria um jeito mais barato de produzir a desomorfina com ingredientes comprados na farmácia ou no supermercado da esquina e cozinhando tudo nas panelas da própria cozinha. Um dos principais motivos de sua popularidade é que qualquer um realmente pode fabricar esse entorpecente sem equipamentos sofisticados, no quintal de casa.

fogão cheio de sujeiras e agulhas onde se preparou o krokodil
"LABORATÓRIO" CASEIRO

Para prepará-la, os usuários com certeza não observam as rígidas normas que os laboratórios internacionais tem, e dispensando muitos dos cuidados necessários, costumam misturar e ferver codeína, álcool, gasolina, iodo, thinner, ácido clorídrico, fósforo (daquele para acender fogão) e muitos outras substâncias.

usuário triturando codeína para misturar com ingredientes do krokodil
MISTURANDO INGREDIENTES DO KROKODIL

Uma vez que essa mistura inacreditável é aplicada, rapidamente se desenvolve o efeito colateral mais conhecido do krokodil: a pele verde, escurecida e escamosa, bem semelhante a um crocodilo. Por isso recebeu esse nome de rua escrito em russo, krokodil, também chamado de Krok.

 mão ficando verde,escura e escamosa por causa do krokodil
AS ESCAMAS DO KROKODIL: COMOÇANDO A APODRECER!


usuário injetando krokodil na virilha
USUÁRIO APLICANDO KROKODIL NA VIRILHA

A falta de um procedimento rigoroso para eliminar do produto final as impurezas e aditivos extremamente corrosivos, faz a droga aglomerar-se nas veias, pois ela não se dissolve totalmente no sangue. Os aglomerados chegam a lugares distantes do corpo que acabam causando sérios danos a essas veias, à pele, músculos, tecidos e até mesmo ossos que vão sofrendo (pela administração contínua dessa droga canibal) irritação e infecção, vindo com o tempo a necrosarem, dando a impressão de que estão sendo devorados pelo Crocodile.

buracos e feridas deixadas pelo uso de krokodil na perna e braço

O dano que o krokodil causa é muito mais horrível e irreversível do que se pode pensar. A carne do viciado no local da injeção costuma apodrecer, enquanto os tecidos do cérebro e outros órgãos vitais vão sendo severamente corroídos. Alguns usuários que injetaram Krokodil na boca precisaram de cirurgia para cortar o tecido morto ou pedaços do maxilar. 

boca e braço de usuários apodrecendo pela ação do krokodil

Muitas vezes as partes afetadas precisam ser amputadas e as chances dos viciados se livrarem da dependência são pouquíssimas, pois quando não morrem (em um período de até 3 anos após a primeira injeção) seja devido a complicações no fígado, rins, infeções ou overdoses, eles acabam apodrecendo, ainda vivos, de dentro para fora. Essa é ou não é uma droga canibal zumbi? 

usuária de krokodil com tornozelo sendo devorado pela droga

O krokodil lentamente tem esticado suas garras para fora do seu local de origem. A Rússia e a Ucrânia parecem ter sido as regiões mais afetadas pela droga, mas houve relatos de seu uso e efeitos colaterais diabólicos na Alemanha, nos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália. Cogita-se também que essa droga já esteja batendo às portas da África.

pé podre de usuário do krokodil sendo comido por vermes

O krokodil é mais barato que a heroína com um poder de sedação 10 vezes maior que a morfina. Sua preparação é fácil, o efeito vem rápido e barato, mas a morte é certa. Para muitos indivíduos é difícil dizer não, até que o krokodil tenha mordido sua pele e feito sua carne sair dos ossos.

Comentários